resenha do filme Se Eu Fosse Você 2

um desapontamento depois de seu predecessor bobo mas encantador

Uns anos depois do primeiro filme (e se você ainda não assistiu ao primeiro filme, bom, se eu fosse você, iria assistir aquele primeiro que foi muito melhor), a relação entre o casal (Helena e Claudio) tem deteriorado de novo até a decisão de se separar. Depois de uma discussão barulhenta sobre a divisão dos bens, Claudio e Helena… trocam de corpos de novo [surpresa!]. Varias situações cômicas seguem: Helena – no corpo de Claudio – participa num jogo de futebol e tem medo da bola; Claudio – no corpo de Helena – “ajuda” a planejar o casamento de sua filha.

No primeiro filme, além das cenas cômicas (que foram muito mais cômicas que as cenas neste filme), observamos a reconciliação gradual do casal, como os dois chegaram a apreciar o um para o outro de novo. Neste filme, quase não observamos nada da relação mesma. Só temos as cenas cômicas e depois, alguns mal-entendidos ficam aclarados e o casal fica enamorado justo a tempo para uma cena de dança coreografada no casamento da filha. Também fiquei desapontado que este filme se rebaixou para fazer varias piadas da homosexualidade potencial de Helena no corpo de Claudio, enquanto o filme anterior evitou esse humor por completo. Não vale assistir: fica com o primeiro.

Nota sobre o conteúdo: Este filme tem classificação 10 no Brasil embora fale do sexo e da gravidez entre adolescentes. Não ocorre o sexo no filme mesmo mas o casal transa fora da tela. Nada forte.

resenha do filme Vidas Secas (1963)

lenta, seria vista (mas com esperança) da vida dos pobres no nordeste do Brasil

O filme começa e termina com quase a mesma cena: um homem, uma mulher, seus dois meninos, andando a pe. No tempo entre o começo e ao final, as vezes a vida melhora (o homem acha um trabalho de vaqueiro) e piora (o homem vai para a carcere por causa de um policial corrupto), mas a fundação, o permanente na vida da família, é o andar, o procurar alguma coisa, tomara que seja uma coisa melhor mas pelo menos algumas coisa. E se a melhorias não permanecem, pelo menos também não permanecem os azares da vida, porque a familia está determinada a sobreviver, seja qual seja o custo. O filme bem apresenta a perspectiva de todos na familia: a desesperação do homem quando a policia e os políticos se aproveitam dele, a desesperação quieta da mulher enquanto tenta manter a família comendo, o aborrecimento das crianças. Este último se reflete no fato de que se fala pouco no filme: de que há de falar?

Na última parte deste filme, uma das crianças pergunta para sua mãe: Como é o inferno? É um lugar para onde vão os condenados, cheio de fogueira, espeto quente. Uns momentos depois, o menino olha para o mundo em volta dele e observa: Inferno. Logo sua mãe sai a recolher agua de uma poça patética. Inferno.

Mas apesar de tudo, a familía acha esperança. Depois de tudo, há uma grande diferença entre a cena inicial e a final. Ao final, depois de achar e deixar um trabalho, de receber abuso da polícia, a mulher e seu homen andam falando do futuro, da possibilidade de – algum dia – de dormir numa cama de couro. De – como disse a mulher – ser gente.

Nota de conteúdo: Este filme se pode assistar por qualquer idade. Agora bem, provavelmente as crianças (e alguns dos adultos) vão dormir pela lentidão do filme, mas pelo menos não vão se ofender.

how to find the rating for unrated films

In case you like to watch foreign films that are unrated in the USA, but you care about what the film would be rated in the US, here’s the way to do it.

  1. Look up the film on IMDB.com.   For example, look at a movie I like, Stupeur et tremblements.
  2. Scroll down, past the cast, to the Additional details section.
  3. Look for the Certification.  That shows what the movie was rated everywhere that it was rated.  For example, for Stupeur et tremblements, it says, “Iceland:10 | Finland:K-11 | Hong Kong:IIA | Netherlands:AL | Norway:11 | Sweden:7 | Switzerland:10 (canton of Geneva) | Switzerland:10 (canton of Vaud) | UK:12A | USA:Unrated
  4. And you can click on any of those links (e.g., UK:12A) to see other movies that had that rating: Angels & Demons, Akeelah and the Bee.
  5. If you want more detail on that rating, you can go to wikipedia’s page on a range of Motion Picture Rating Systems.

movies with switching bodies: the complete(r) list!

I recently posted a list of movies that I and some friends could think of in which people switch bodies.  It turns out that Wikipedia has a much fuller list (surprise!), although it doesn’t have the Brazilian films Se eu fosse você 1 & 2, so it’s definitely not complete.

The Wikipedia list, below (they also list tv shows, novels, and other media where this phenomenon occurs)

List of movies with body swaps

resenha de filme: O Xangô de Baker Street

uma divertida sátira do Sherlock Holmes andando canhestro no Rio

No Rio de Janeiro no ano 1886, o imperador do Brasil deu um violão de alto valor para uma atriz francesa que é amante do imperador. Mas quando o violão foi roubado e inicia uma série de homicidas, a atriz sugere que o imperador convide a Sherlock Holmes a vir até Rio para resolver o misterio. Holmes (e seu amigo, o Doutor Watson) passam um pouco de tempo trabalhando no caso mas o resto passam almoçando com a aristocracia local e asistindo ao teatro.

O que segue é menos uma narrativa coerente que uma série de cenas cômicas. Por exemplo,

• O Doutor Watson está possuído pelo espírito de um dos deuses afro-brasileiros

• Sherlock Holmes prova alguma droga brasileira que só o deixa com fome a pesar de estar com uma mulher linda

• Holmes se revela como vírgem e vemos sua falta de experiência com uma atriz brasileira de quem ele se enamora

• E meu favorito: Holmes corre atrás do assassino mas precisa deixá-lo escapar pela diarréia que tem depois de comer comida brasileira.

A pesar de uma trama fraca, o filme é suficientemente divertido e nunca cansa de se burlar da imagem tradicional de Sherlock Holmes. O ator que intepreta Holmes é excelente. (Fala portugués no filme porque estudou os venenos em Macao.)

Uma coisinha que me pareceu estranha foi uma cena – quase ao final – quando Holmes se está despedindo da sua namorada e parece que a cena está cortada antes do final da piada.

Nota sobre o conteúdo: O filme mostra pelo menos duas mulheres mortas e nuas, e um par de vezes se ve os seios de mulheres vivas, uma das vezes dentro de uma cena de sexo (que não chega muito longe e que é cómica).

resenha de filme: Come Fazer um Filme de Amor

boa paródia ainda exige umas boas personagems

Neste filme, o narrador está construindo um filme de amor, e nos deixa ver adentro do processo.  Então, no començo precisamos achar uma heroína.  O narrador sugere “uma mulher” e aparece uma mulher muito gorda; então o narrador sugiere uma mulher mais magra e aparece uma mulher muito velha, então mais joven e uma criança aparece, et cetera. 

As veces isto é muito engraçado.  Por exemplo, quando primeiro se mostra o herói e a heroína despertando e se vem – bem – normal, com o cabelo de despertar.  Logo o narrador interrompe e sugere outra tomada e os dois despertam perfeitamente lindos.  (Outra cena onde a paródia funciona uber-bem é quando zomba das cenas de sexo nos filmes románticos.)  Outras partes não tem tanto sucesso (como a luta física ao final e qualquer cena com o vilão Adolf).

Apesar destas partes engraçadas, o filme nunca investe o tempo necessário para que nos preocupemos das pessoas principais e da trama que se está desdobrando.  Dado isso, comecei sentir um pouco aborrecido.

 Mais não posso criticar o self-awareness do narrador durante os títulos finais, quando disse:

“Todos estao felices, Laura e Alan porque acabaram juntos, você porque teve uma hora e meia de diversao, e eu porque ganhara algum dinheiro.  Isso é o cinema. …

“Se você não gostou, da próxima vez fica em casa lendo um livro.  Aliás, literatura é muito melhor do que cinema.  É uma arte muito superior.  Exige mais do leitor, sabe? …

“É tudo pilantragem pra pegar o seu dinheiro.”

Note sobre o conteúdo: O filme tem uma cena (cómica) de sexo sem nudez mas com movimento e com ruído exagerado.

movies where people switch bodies

I just saw a funny, silly Brazilian film, Se Eu Fosse Você, in which an alienated husband and wife switch bodies and learn to appreciate each other, yada yada yada.  I was thinking of how many movies have had this premise or a closely related.  This is what a friend and I came up with.  What are we missing?

Strict body switches

Someone takes over someone else’s body – mayhem ensues

Wow!  Suddenly I’m in a big / little person’s body

resenha do filme Se Eu Fosse Você

divertido e cómico

Claudio e Helena, já casados muitos anos, com uma filha de 13 anos e com Claudio cumprindo 50 anos dentro de ums dias, não se comprendem o um ao outro.  Se dão bem mas não se comunicam sobre seus problemas e preocupacões e por tanto cada um não apreça o que o outro faz no dia a dia.  Claudio disenha campanhas de publicidade e Helena dirige um coro de uma escola católica de meninas.  Então, uma amanhá – depois de uma discussão forte a noite anterior – se levantam com os corpos trocados.  A loucura – é claro – sigue. 

Embora que a idea de trocar corpos não é original (Freaky Friday, Vice Versa, The Hot Chick, etc),* este filme tem varias brincadeiras originais (para mim, ao menos).  A primeira vez que Helena (no corpo de Claudio) usa o banheiro de homen é muito engraçado, e também quando ela nada na piscina de uma forma muito feminina durante uma festa com os amigos.  Os dois atores fazem um trabalho excelente com adotar os movimentos e caras do outro depois da mudança de corpos.  Em geral, o filme é muito cómico.  

Demais, dou varios pontos para os que fizeram o filme que não incluíram nenhuma brincadeira sobre o homossexualismo: O seja, o fato de que o homen se está portando de uma maneira femenina não se interprete de inmediato como um sinal de sua orientação sexual.

E não é uma surpresa que no final do filme, se aprendem a apreçar e depois trocam corpos de novo.  Os dois já tem ajudado a vida do outro no processo.  Achei uma partinha no final não muito convencente, quando Claudio (no corpo de Helena) muda a coreografia do coro em um só dia.  Mas isso é uma crítica pequena.  Overall, é um filme cómico, as veces doce, e a recomendo.

 Nota sobre o conteudo: Em uma cena, a secretaria de Claudio exibe muito colo (para distrair um cliente).  Mais disso, se ve colo em algums anúncios.  E faz referência a existência do sexo.  Em Brasil, tem clasificação 10; no EUA, achou que teria PG-13.

 * Outros filmes que usam uma premissa parecida mas não idêntico são «13 Going on 30» com Jennifer Garner, «All of Me» com Lily Tomlin e Steve Martin, e 17 Again com Matthew Perry e Zac Efron.

resenha de DVD – Colêtanea de Curtas: Vol 1

uma jóia solitária entre uma coleção medíocre

Esta coleção de filmes cortos é – francamente – estranha, não muito divertida, e muitas vezes deprimente.  Dois em um é ums dos filmes mais deprimentes que tenho visto (o que é dizer algo).  Um dos filmes – acho que foi Tipos Intrometidos – até não é um filme brasileiro senão americano (em inglés).  Não é obvio por que está incluido aqui.  Outros filmes, como Átimo, está mais ou menos interessante mas sente muito antiquado (o seja, dos anos 80).

Não é dizer que não tem filmes interessantes.  O filme Todo Dia Todo demostra o ciclo da vida de uma forma estética e intrigante.  O olhei duas vezes.  E A Historia Real parecia interessante mas admito que adormeci (talvez isso foi culpa minha e não do filme – quem sabe?)

Aqui está a lista de filmes incluidos nesta coleção:

  • A História Real
  • Átimo
  • Dois em Um
  • O Trabalho dos Homens
  • Os Irmãos Willians
  • Tipos Intrometidos
  • Todo Dia Todo – [A única que gostei muito!]
  • Um Ladrão

Em geral, não recomendo esta coleção.  A vida é corta demais.

Nota sobre o conteudo:  Um dos filmes – Dois em um – tem um pouco da nudez (breve).  Algums dos outros filmes tem ums palavrões.

resenha de filme – Simonal: Ninguem Sabe O Duro Que Dei

a música linda dos anos sesenta…e também algo sobre uma ditatura

Admito que sou a pior pessoa no mundo para resenhar este filme.  Nunca tinha ouvido de Wilson Simonal, e não entendo portugués perfeitamente assim que com um filme documentario sem muita ação, me posso perder.  Dado isso, gostei da musica de Simonal e das cenas de seu programa na televisão que demostram no filme.  Foi ao filme o sábado passado no Rio de Janeiro, comprei o último ingresso, e ao final do filme o cinema inteira aplaudio, assim que os cariocas parecem gostar do filme sem.

Além da música, o filme se trata das acusações que Simonal colaborou com o governo ditador e da sua vindicação eventual.

Agora, deixarei que outros que sabem (and comprendem) mais que eu comentem.  No site do filme, tem o trailer. 

O Povo online disse: “Imagens de arquivo primorosas e depoimentos reveladores são alguns dos pontos fortes de Simonal -Ninguém Sabe o Duro que Dei, documentário que estreou nos cinemas nacionais, com a proposta de jogar luz à história do cantor Wilson Simonal, dono de sucessos como Nem Vem que Não Tem e ídolo dos anos 60” [1].

Yahoo! Brasil disse: “Os diretores do filme…não quiseram saber ou provar inocência ou culpa.  Queriam apenas devolver uma humanidade ao cantor e fizeram isso com louvor, de forma primorosa. … O filme enche os olhos, principalmente pelo rico acervo de imagens apresentadas, enfatizando os momentos dourados do cantor, antes de sua queda.” [2].

Nota sobre o conteudo:  Não tem nada ofensivo.

[1] Poli M, “Simonal: história passada a limpo,” 18 Mai 2009.

[2] Veras D, “Simonal: showman proibidão,” 18 Mai 2009.